Com plano de saúde caro, clínica popular é opção na Tijuca

Um novo conceito em atendimento ao paciente, de padrão classe A para públicos B, C e D, em meio à explosão de clínicas populares no Rio de Janeiro, causada pela crise econômica que levou cariocas e fluminenses a buscarem alternativas na hora de cuidar da saúde. É no que apostam os jovens empresários João Spínola, de 33 anos, e Fabianne Salgado, 26, que abrem oficialmente nesta quarta-feira (21), a Leve Saúde, na Tijuca.

A meta, segundo a dupla, é realizar 4 mil consultas/mês e dobrar este número em um ano. “Nossa proposta é atender este público que ficou a mercê do Sistema Único de Saúde (SUS) com um atendimento humanizado, a um valor justo e sem burocracia”, afirma João. Segundo ele, as consultas de clínica médica custarão R$ 80 e as demais especialidades, R$ 90. É possível realizar exames laboratoriais e de imagem no espaço, a preços a partir de R$ 5.

A meta, segundo a dupla, é realizar 4 mil consultas/mês e dobrar este número em um ano. “Nossa proposta é atender este público que ficou a mercê do Sistema Único de Saúde (SUS) com um atendimento humanizado, a um valor justo e sem burocracia”, afirma João. Segundo ele, as consultas de clínica médica custarão R$ 80 e as demais especialidades, R$ 90. É possível realizar exames laboratoriais e de imagem no espaço, a preços a partir de R$ 5.

ViDA & Ação estava lá no coquetel de inauguração na noite desta terça (20) e entrevistou os dois- veja aqui:

Por que escolher a Tijuca

No local, os pacientes contarão com uma equipe de mais de 40 médicos especializados em mais de 20 áreas, com ajuda de equipamentos modernos e tecnologia avançada para diagnóstico.  Instalada em um dos pontos mais estratégicos do bairro, em frente ao Shopping Tijuca, a Leve Saúde possui 510m² e foi desenhada com 100% de acessibilidade, tornando fácil a locomoção a todas as pessoas. A Tijuca foi escolhida por ser um bairro tradicional, com grande concentração populacional e crescente interesse por serviços de saúde. No bairro, existe apenas uma clínica popular, mantida pela Granado.

João Spínola e Fabiane Salgado, sócios da Leve Saúde, com a editora de Vida & Ação, Rosayne Macedo (Foto: Maria Clara Macedo)João Spínola e Fabiane Salgado, sócios da Leve Saúde, com a editora de Vida & Ação, Rosayne Macedo (Foto: Maria Clara Macedo)
Os sócios João Spínola e Fabiana Salgado estudaram o mercado de clínicas populares (Foto: Divulgação) Os sócios João Spínola e Fabiana Salgado estudaram o mercado de clínicas populares (Foto: Divulgação)

João é formado em administração de empresas e tem 14 anos de experiência no ramo de saúde assistencial. Já Fabiane é engenheira e se apaixonou pela área da saúde.  “Minha experiência no ramo da saúde me permitiu acompanhar de perto as principais falhas dos planos, como carências, autorizações de exames e demora nos procedimentos. Com isso, eu e minha sócia, conseguimos estruturar um novo modelo de atendimento médico, nunca antes visto no Rio de Janeiro”, revela João.

Experiência nova, com mais interação
Ao estudarem cases de diferentes clínicas na categoria popular, os sócios identificaram que todas oferecem mais do mesmo ao cliente. Já a Leve Saúde quer trazer uma experiência nova ao carioca desde o primeiro contato com a clínica, seja pelo site ou pelo telefone, a interação acontece de forma completa, chamada de solução 360 focada no cliente.
Informação e  interatividade estarão presentes em ações como lembretes do retorno ao ginecologista, a importância do tratamento de prevenção e não somente na hora de remediar, avaliação do médico com sugestões para melhoria contínua via app. A proposta é trazer ao cliente uma experiência na área da saúde com um nível A de atendimento.
“Nosso objetivo é sermos reconhecidos como a melhor clínica do bairro, voltando o conceito de antigamente com o médico que cuida da família toda, bem como  trazer a melhor solução para o cliente”, completa. “Queremos cultivar a cultura de excelência no atendimento e facilidade para pagamento, já que hoje muitas clínicas só aceitam pagamento em dinheiro. Pensando nisso disponibilizamos também o parcelamento e uso de cartões”, afirma João Spínola.
Outro diferencial que a clínica vai trazer são as parcerias com as empresas que não possuem planos de saúde para seus  colaboradores. A ideia é oferecer à empresa apoio e soluções rápidas para  seus colaboradores como relatórios para controle de sinistros, entre outras demandas. Ele lembra ainda que as clínicas não podem vender planos de saúde, pois a legislação proíbe.
Leve Saúde Tijuca - fachada
Por que investir no setor

Fatores como dificuldades na contratação de planos de saúde individual, aumento do desemprego e falhas no SUS, foram pontos fundamentais para que a dupla enxergasse no Rio um mercado promissor na área da saúde privada, sem vincular o cliente a um plano de saúde mensal.

Insustentáveis financeiramente, hoje os planos de saúde chegam a representar 6% do orçamento familiar. As classes C e D as mais afetas pela crise, somente no Rio de Janeiro, cerca de 123 mil pessoas deixaram de contar com a assistência médica privada, no último ano. E foi então que os jovens empresários identificaram um público disposto a pagar por um bom atendimento médico e sem burocracia.

Leve Saúde gerou 15 novos postos de trabalho e a previsão e que mais 15 contratações sejam realizadas ao longo do primeiro semestre. Enquanto a crise carioca espanta empresários e investidores da cidade, a dupla aposta em um mercado que não para de crescer em todo o país. E já planeja expandir o negócio para a Zona Oeste, Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo, o que impactará mais ainda a economia no Rio. A nova clínica fica na Rua Engenheiro Enaldo Cravo Peixoto 215 – loja B – Tijuca. Telefone: (21) 3952-4800

 

Fonte:

https://www.vidaeacao.com.br/com-plano-de-saude-caro-clinica-popular-e-opcao-na-tijuca/

 

Deixe uma Resposta