Boa alimentação é um aliado para saúde da mulher

Brenda Jacomo – Nutricionista da Clínica Leve Saúde

Ter uma alimentação saudável nem sempre é fácil devido ao corre-corre diário. As mulheres, que normalmente possuem dupla ou até tripla jornada de trabalho e afazeres, são as que mais sofrem com a alimentação inadequada. Comer adequadamente pode trazer muitos benefícios para o público feminino, principalmente para aquelas que sofrem com a TPM ou com a menopausa. Muitos alimentos ajudam a aliviar os sintomas.

A TPM provoca dores de cabeça, cólicas, mau humor, inchaço e prisão de ventre e esses sintomas surgem devido a queda da progesterona. Mas ter uma alimentação com mais fontes do complexo B, vitamina E e ácidos graxos, como cacau em pó ou chocolates com 70% de cacau, grãos integrais e oleaginosas, como nozes ou castanhas e evitar o excesso de sal, gorduras e cafeína, ajuda a amenizar os sintomas. E claro, sempre praticar exercícios regularmente para melhorar a circulação sanguínea.

As mulheres que já entraram na menopausa sentem suores, aumento de peso, entre outros sintomas, tudo devido a queda dos hormônios. Um reforço no consumo de cálcio (leite, espinafre, leguminosas), ferro (carne vermelha, feijões e brócolis), fibras (frutas e hortaliças em geral), peixes (como sardinha e salmão para aumento do consumo de ômega 3), que também é encontrado na linhaça e na chia, são boas medidas para essa fase da vida. Aumentar o consumo de água, mantendo a pele hidratada, consumir nozes e castanhas para melhorar o cabelo e unhas, pela presença do selênio e o aumento da proteína para manter a musculatura mais integra são outras medidas fáceis de cumprir, que proporcionam bem estar.

Outro fator que deve ser observado é o metabolismo. Mulheres e homens possuem metabolismos diferentes. As mulheres – por terem um percentual de gordura maior por causa dos hormônios circulantes – tem o metabolismo mais lento, e menor presença de massa magra no corpo. A prática de exercícios físicos regulares faz com que a mulher aumente seu perfil de massa muscular, melhorando assim o quesito redução de peso, quando se trata de emagrecimento. Uma boa sugestão é aumentar as fontes de proteínas na dieta, assim como os alimentos que favoreçam a queima calórica, como chá verde e gengibre.

Quando a menopausa chega, esse metabolismo fica ainda mais lento e a maior parte das mulheres ganha peso. Isso pode ocasionar outras doenças como hipertensão e diabetes.

Outro problema crescente entre o publico feminino é a obesidade. Tem que se entender que é uma doença inflamatória que pode desencadear muitas alterações no corpo, assim como um desequilíbrio hormonal. A alimentação balanceada com reguladores hormonais como: iogurte como fonte de cálcio, consumo de peixes como salmão, para maior absorção de ômega 3, antioxidantes em geral, como frutas cítricas e abacate e especiarias como alho e canela ajudam a controlar o peso. A mulher obesa pode ter dificuldade para engravidar e, quando engravida, pode apresentar alterações como diabetes gestacional, parto pré-maturo, aborto  e má formação fetal.

Para quem pretende engravidar é muito importante que antes da gestação, assim como durante a gravidez, aumente o consumo de fontes de ferro e ácido fólico, como folhas verdes escuras, feijões, carne vermelha e fígado, além de reforçar o uso da vitamina C, melhorando o lado imunológico e o aumento da absorção de ferro ingerido nas refeições. O ideal é consumir frutas cítricas (laranja, acerola, kiwi) como fontes dessa vitamina e também evitar o consumo de comida crua na rua e aumentar a ingestão hídrica.

Deixe uma Resposta