9 atitudes para se prevenir do coronavírus e o que jamais fazer

Em tempos de coronavírus, informação é o melhor remédio. Por isso, elaboramos este texto com os principais cuidados que você deve ter para se prevenir do contágio pelo coronavírus e, também, com as principais dúvidas sobre a doença. 

Como a COVID-19 é transmitida

A transmissão da COVID-19 e consequente contágio pelo coronavírus dá-se através de gotículas de saliva contaminada. Ou seja, uma pessoa com o vírus que tenha espirrado, tossido ou simplesmente levado a mão à boca, nariz ou olhos e tocado em outras superfícies, irá contaminá-las.

Uma pessoa saudável que tocar nessas superfícies e levar a mão à boca, nariz ou olhos, se contaminará com o coronavírus. Vale lembrar que o beijo também transmite a doença.

Qual a diferença de COVID-19, SARS-CoV-2 e coronavírus?

A COVID-19 é o nome simplificado da doença causada pelo coronavírus. Portanto, o coronavírus é o agente que causa a ‘Coronavirus Disease 2019’, do inglês, ‘doença do coronavírus 2019’.

SARS-CoV-2 é o nome científico da doença COVID-19, siginificando ‘severe acute respiratory syndrome coronavirus 2’ ou ‘Síndrome Respiratória Aguda do Coronavírus 2. O número 2 foi dado devido à semelhança sintomática à doença homônima de 2002.

Cuidados necessários para se prevenir do coronavírus

  • Respeitar o isolamento social

    O isolamento social é, comprovadamente, uma das táticas mais bem-sucedidas adotadas em países que tiveram êxito no combate ao coronavírus e frear o surgimento de novos casos. 

Mas por que o isolamento?

O isolamento deve ser realizado por todos, devido ao alto contágio da doença. Cada pessoa tem a capacidade de contagiar mais 2,5 pessoas. Esse valor é exponencial, ou seja, os casos vão sempre dobrando: 1 pessoa infecta 2, estas 2 infectam 4, que infectam 8, 16, 32, 64 e por aí vai. Portanto, o isolamento social é uma medida para o coletivo, para que pessoas jovens, saudáveis e assintomáticas não transmitam o vírus para pessoas debilitadas, com grandes chances de morte, o que levaria a um colapso no sistema de saúde.

  • Sempre lavar bem as mãos

As mãos devem ser sempre bem higienizadas com água e sabão, lavando-se bem as palmas, as costas das mãos, e a parte de baixo das unhas. Uma dica para saber o tempo correto de lavagem das mãos, é fazê-la cantando 2 vezes o ‘parabéns à você’ para si mesmo. 

  • Higienizar as superfícies e objetos

Além de lavar as mãos, limpar muito bem as superfícies é fundamental para se prevenir do coronavírus. O vírus pode manter-se vivo por até 3 dias em superfícies como plástico e aço inox. Portanto, higienize as superfícies com álcool líquido.

Outro ponto muito importante é higienizar todos os produtos que vieram do mercado quando você sair às compras. Lembre-se disso!

  • Ter uma ‘zona suja’ em casa

Demarque um espaço próximo a entrada como a ‘zona suja’. Tudo o que vier da rua, deve ficar por ali. Tire as roupas e os sapatos, bem como os objetos naquela área, para que eles sejam higienizados posteriormente. 

  • Não compartilhar objetos como copos e talheres

Se, na sua casa, vocês possuem o costume de compartilhar copos e talheres, devem parar imediatamente. É importante que cada um utilize o seu próprio utensílio para evitar riscos de contaminação. Mesmo todos estando isolados, pode ser que, numa saída ou outra, alguém contraia o vírus e se houver o compartilhamento, pode facilitar a transmissão dentro de casa.

  • Manter os ambientes bem ventilados

Mantenha as janelas e portas abertas para que o ambiente fique sempre bem ventilado e ajude na prevenção à transmissão do coronavírus dentro da sua própria casa.

  • Não ir ao hospital ou pronto-atendimento com poucos sintomas

Se você apresentar coriza, febre e dor de garganta, fique em casa! Se tiver dúvidas, pode esclarecer suas dúvidas no 136 – contato do Ministério da Saúde. Se a coriza, febre e dor de garganta vier acompanhada de tosse, procure um posto de saúde e vá de máscara. Agora, se apresentar todos esses sintomas e ainda falta de ar, procure imediatamente o serviço de urgência!

  • Cubra o rosto com o cotovelo ao tossir ou espirrar

Sempre é bom lembrar que, mesmo antes de o coronavírus chegar, sempre foi importante cobrir o rosto com a parte de dentro do cotovelo ao tossir ou espirrar.

  • Evite levar as mãos ao rosto

As mucosas dos olhos, nariz e boca são portas de entrada para o vírus. Portanto, evite levar as mãos ao rosto e quando o fizer, higienize-as previamente com água e sabão. Esse é um cuidado essencial na prevenção ao coronavírus.

As principais dúvidas e erros sobre a prevenção do coronavírus

  • Utilização inadequada da máscara

A máscara não tem a função de proteger você de contrair o coronavírus, mas de impedir que suas gotículas de saliva se espalhem no ar e possam contaminar outras pessoas. Portanto, só utilize quando necessário, se apresentar algum sintoma.

Além disso, a parte frontal da máscara não deve ser tocada. Ela deve ser tirada e colocada no rosto pelas alças elásticas laterais.

  • Utilização negligente das luvas

As luvas protegem as mãos, mas estar com elas não te torna imune. Se, de luvas, você tocar uma superfície contaminada e tocar seu rosto, por exemplo, elas não lhe protegeram em nada. Da mesma forma, você pode contaminar outras superfícies e objetos ao tocá-los. As máscaras devem ser utilizadas em situações pontuais e imediatamente descartadas logo após.

  • O álcool gel não serve para tudo

O álcool gel serve para uma desinfecção rápida em caso da impossibilidade de lavar as mãos com água e sabão, ou seja, ele é um paliativo prático e não deve ser a principal forma de higienização das mãos.

Além disso, para limpeza de superfícies, deve se utilizar o álcool líquido, não o gel.

  • Acreditar em informações não-oficiais e correntes de WhatsApp

As notícias falsas sobre o coronavírus estão circulando a todo vapor nas redes sociais e em compartilhamentos de WhatsApp. Não acredite em nada que não vier de fontes oficiais como a OMS (Organização Mundial da Saúde), Ministério da Saúde ou médicos identificados

Existem pessoas se passando por médicos em áudios e trazendo informações equivocadas à população. Lembre-se que todo o médico, ao passar uma informação, deve disponibilizar seu nome completo e CRM. Não acredite em tudo que lê e ouve. Cheque as fontes e sua credibilidade.

  • Automedicação com cloroquina ou crendices

A cloroquina está em fase de testes para o combate ao coronavírus. Mas apenas os médicos podem utilizá-la, eles estão capacitados para lidar com as possíveis reações adversas. Não compre esse remédio em farmácias, muito menos automedique-se. Ele pode causar efeitos colaterais graves, além de não prevenir o contágio pelo coronavírus. 

Até o momento, não existe nenhuma forma de prevenção através de medicamentos ou vacinas. As medidas que você deve tomar para se prevenir, foram todas descritas na primeira parte deste texto.

Informação e responsabilidade são os melhores remédios para este momento

Neste momento, informar-se através de fontes confiáveis e seguir as recomendações de médicos e infectologistas é o que vai nos ajudar a passar por isso da melhor forma, com menos prejuízos e mais vidas salvas.

Também, você deve ser responsável, seguindo estas recomendações e jamais repassar notícias e informações sem verificar as fontes. Vamos juntos combater o coronavírus e a COVID-19!

Deixe uma Resposta